Carregando...

Título de capitalização - substitui o fiador

A Sul América Capitalização lançou nesta semana, com o apoio do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), um título de capitalização que promete agilizar o mercado de locação, substituindo a figura do fiador. O "Sul América Super Fácil – Garantia de Aluguel" pode ser adquirido pelo inquilino na hora da assinatura do contrato de aluguel, e servirá como garantia para o proprietário do imóvel. 

Para o inquilino a maior vantagem é que para obter o título não é necessário comprovar renda nem fazer minuciosos cadastros na imobiliária. "O trabalhador informal, por exemplo, apesar de possuir dinheiro, não consegue alugar imóveis por não possuir comprovação de renda. Agora, basta pagar o valor do título e fornecê-lo ao proprietário como caução", explica José Luiz Florippes, diretor comercial da Sul América Capitalização. 

O título, que deve ser pago à vista, não tem valor mínimo ou máximo fixado, e será acertado entre o inquilino e o proprietário. O montante pago será corrigido pela Taxa de Juros (TR) mais 3% ao ano, e o inquilino ainda concorre mensalmente, através de sorteio pela Loteria Federal, a um prêmio no mesmo valor do título. Todo este dinheiro poderá ser resgatado, no final do contrato, desde que o aluguel tenha sido pago regularmente. 

Uma quarta opção de garantia 

Atualmente o mercado imobiliário trabalha com três tipos de garantia: fiança, caução e seguro de fiança locatícia. Todas elas possuem aspectos negativos em maior ou menor grau. Segundo o diretor-executivo das vice-presidências de Locação e de Comercialização e Marketing do Secovi-SP, Aimoré Freitas, a fiança é a modalidade de garantia mais utilizada no Estado. "Cerca 10% dos contratos em São Paulo são realizados com seguro fiança, 20% com caução e 70% com a garantia da fiança", calcula Freitas. 

Mas apesar deste número, encontrar um fiador não é tarefa fácil. Para evitar o inconveniente de pedir para um amigo ou parente o favor de ser seu fiador, algumas pessoas acabam pagando uma nova figura no mercado: o fiador profissional. 

Já no caução, os depósitos em dinheiro, por lei, não podem ser maiores do que três vezes o valor do aluguel. "Esta quantia é pouca para a demanda judicial. Em São Paulo uma ação de despejo leva de oito a 12 meses para ser concluída, o que acaba deixando o locador sem garantia", explica Freitas. Já para fazer um seguro fiança, o inquilino precisa passar por uma avaliação rigorosa da seguradora. 

Além de não precisar de comprovação de renda, outra vantagem do "Garantia de Aluguel" é que o título, feito em nome do locatário, pode ser resgatado depois de encerrado o contrato e obtida a carta de liberação da imobiliária. E o locador também tem a garantia de receber o valor do título depois que a justiça aceitar a ação de despejo e que seja comprovada a inadimplência do inquilino. 

Título quer virar moeda correndo no mercado imobiliário 

O título de capitalização do mercado imobiliário é vinculado a um contrato de locação e tem vigência de doze meses. Depois deste período, o título pode ser renovado, transferido para garantir outra locação ou resgatado. O título também pode ser resgatado caso o contrato seja cancelado antes de doze meses. Neste caso a retirada segue uma tabela progressiva. Se o inquilino desistir do aluguel no primeiro mês, por exemplo, com a carta de liberação da imobiliária é possível resgatar 87,87% do valor do título. Já se o inquilino desistiu do negócio no décimo primeiro mês, ele tem direito a 92,25% do valor investido. 

"Acredito que, com o tempo, a autofiança vai crescer, pois evita o envolvimento de outras pessoas no processo de locação e melhora o relacionamento entre o inquilino e o locador", diz o diretor de locação do Secovi, Luiz Fernando Gambi. 
O diretor comercial da Sul América acredita que o novo título vai motivar um crescimento no número de aluguéis e pretende estar vendendo o produto, em todo o país, até março de 2001. "Não estamos lançando este título para beneficiar o inquilino ou o proprietário. O Super Fácil – Garantia de Aluguel é bom para o mercado imobiliário como um todo", acredita Florippes.